Como está o mercado moveleiro?

04/03/2022 | Notícias

De forma geral, o mercado moveleiro é um dos que mais cresce no Brasil. Em agosto de 2021, por exemplo, a produção de móveis alcançou a marca de 37,6 milhões de peças. Já em setembro, a produção decaiu para 34,1 milhões.

Ou seja, houve uma queda de 8% em volume de um mês para o outro. No entanto, o acumulado do ano segue sendo positivo, 6,5% em comparação ao mesmo período do ano passado.  Esses dados foram divulgados na última edição da "Conjuntura de Móveis", pesquisa mensal desenvolvida pela Inteligência de Mercado para a ABIMÓVEL (Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário).

Produção Moveleira

"Ao observamos o histórico de volume mensal de peças produzidas na indústria moveleira durante o ano, é possível perceber uma retomada considerável no ritmo de produção com a chegada do segundo semestre", afirma a ABIMÓVEL. Confira o volume mensal das peças produzidas durante o ano de 2021:

  • Janeiro: 37,7%
  • Fevereiro: 36,2%
  • Março: 37,0%
  • Abril: 30,2%
  • Maio: 32,8%
  • Junho: 31,9%
  • Julho: 35,0%
  • Agosto: 37,6%
  • Setembro: 34,1%

Resultados do varejo

Os números da indústria equivalem ao comportamento dos consumidores de moveis, em que as vendas em volume de peças apresentada na Conjuntura Mensal de Móveis, tiveram queda de 9,2% no mês de setembro em relação ao mês de agosto. Quando se trata de valores, a recessão foi de 8,4%, igualmente comparada.

Contudo, analisando o resultando anual do mercado moveleiro, os números continuam positivos no varejo, 4,7% em volume e 12,7% em receita. Afinal, é importante considerar a inflação no varejo nacional que concentrou um aumento de 10,8% sobre o valor dos móveis prontos no comércio.

Como estão as vendas online no setor moveleiro?

Dentro do contexto online, o setor moveleiro apresenta indicadores positivos, esses dados podem ser considerados um reflexo do impacto da pandemia de covid-19. A emergência sanitária causou uma urgência de adaptação do setor ao universo digital.

A partir do isolamento social e a nova realidade de realizar grande parte das atividades em casa, os consumidores mudaram seus hábitos de compra. Assim, em dois anos, o nicho de Casa e Decoração, no qual o setor moveleiro faz parte, está entre os que apresentaram maior crescimento. Em 2020 houve um aumento de 53% no faturamento em comparação ao ano anterior, levando em consideração o primeiro e o segundo semestre.

No primeiro semestre de 2021, o segmento apresentou alta de 155% no faturamento. Em 2022, estima-se que a previsão é de mais crescimento, mesmo com a inflação. Isso porque apesar dos ambientes fechados, foi possível fazer uma boa superação. Além disso, só neste ano, foram criadas 1.700 vagas de emprego nesta indústria no Rio Grande do Sul.

Comércio exterior

A exportação do mercado moveleiro, por sua vez, totalizou US$ 82, 9 milhões em setembro de 2021. Isso simboliza uma alta de 6,7% frente ao resultado de agosto. Já em outubro, um novo crescimento de 11,3%, atingindo a marca de US$ 92,3 milhões em móveis exportados para marca do moveleiro nacional, de acordo com a ABIMÓVEL e o IEMI.

Já no departamento de importação, o Brasil chegou a US$ 24,2 milhões em imóveis. Esse valor representa 31,9%, quando comparado ao mês anterior. No entanto, em outubro, houve queda de 9,4% na comparação mensal, atingindo a marca de US$ 21,9 milhões.

Siga a Fimma

fimma.com.br linkedin instagram facebook.com youtube.com telegram